Vasco 1 x 0 Criciúma »

Edmundo marca e garante vitória sobre o Tigre pela Copa do Brasil

Jorge William/AGÊNCIA O GLOBO

Mesmo com um a mais, time cruzmaltino perde muitos gols em casa

Foi difícil. Mesmo com um jogador a mais desde os dois minutos do segundo tempo, quando Luís André foi expulso, o gol não saía. A torcida já estava irritada quando Wagner Diniz, sempre ele, sofreu pênalti. Edmundo, que entrou no intervalo no lugar de Alan Kardec, cobrou e garantiu a vitória simples por 1 a 0 sobre o Criciúma, nesta quarta-feira, em São Januário, pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. Com o resultado, o Vasco joga pelo empate na partida de volta, na próxima quarta-feira, dia 23, no estádio Heriberto Hülse, em Criciúma. Uma derrota por 1 a 0 leva a decisão da vaga para os pênaltis. Qualquer outra derrota por um gol de diferença (2 a 1 ou 3 a 2, por exemplo) garante a vaga cruzmaltina.

Alan Kardec perde as melhores chances do Vasco
Agência

Com Edmundo no banco, Morais era o principal articulador das jogadas de ataque do Vasco. Mas apesar de algumas boas tabelas, principalmente pela direita, o time não conseguia concluir a gol. Aos 15 minutos, a primeira chance. Morais se livrou da marcação e entrou na área. Mas nenhum atacante conseguiu concluir o cruzamento rasteiro para a pequena área. Após o corte da defesa, a bola subiu e o próprio Morais cabeceou para o gol. Mas o goleiro Zé Carlos defendeu.

Aos 18 minutos, Pablo driblou Reginaldo Araújo e entrou na área pronto para concluir. Mas o zagueiro Wescley salvou no último instante. Porém, foi o Criciúma que assustou. Após uma bobeada da defesa, o atacante Jean Coral recebeu na entrada da área e chutou cruzado. Tiago fez uma defesa difícil. Na sobra, Uendel chutou por cima do travessão. O lance deixou a torcida bastante nervosa.

– Que saudade do Odvan! – gritou um torcedor na arquibancada.

Só depois do susto que o Vasco conseguiu chegar com perigo. Pablo mandou uma bomba de fora da área. O goleiro Zé Carlos espalmou e, na sobra, Alan Kardec concluiu de primeira. A bola bateu na trave direita e foi para fora.

No último minuto, um lance incrível. Pablo fez boa jogada pela esquerda e tentou chutar. A bola bateu na zaga e, na confusão, sobrou limpa para Alan Kardec na pequena área, de frente para o goleiro. Mas o atacante tocou fraco, e Zé Carlos defendeu.

Wagner Diniz, mais uma vez, é decisivo

Para o segundo tempo, Antônio Lopes tirou Alan Kardec e colocou Edmundo no time. Vilson, machucado, também saiu para a entrada de Rodrigo Antônio. A pressão do Vasco aumentou quando Luís André foi expulso logo aos dois minutos ao segurar Jean pela camisa. Ele já tinha cartão amarelo.

O Vasco foi para cima. Jean soltou uma bomba da entrada da área, e o goleiro Zé Carlos espalmou. A cena se repetiu no minuto seguinte, agora com um chute de Edmundo.

Era um jogo de ataque contra defesa. O Animal se livrou da marcação, entrou na área e chutou rasteiro. Mas a bola sai torta e bateu na defesa. Logo depois, Pablo partiu para cima da marcação e cruzou. Mas Edmundo não alcançou a bola. Tudo isso com menos de 15 minutos.

O Vasco perdia um gol atrás do outro. Aos 18 minutos, Jean recebeu na área pela esquerda e chutou rasteiro. O goleiro Zé Carlos defendeu com os pés. Aos 19, Wagner Diniz cruzou e Edmundo, livre na área, cabeceou todo sem jeito para a defesa do goleiro. A torcida começava a se irritar.

Uma fraca chuva começou a cair em São Januário. Morais arriscou de fora da área. Zé Carlos, o destaque do jogo, novamente defendeu após a bola quicar no gramado. Aos 25 minutos, Antônio Lopes colocou Alex Teixeira no lugar de Souza. O treinador manteve o esquema de três zagueiros mesmo com o Criciúma deixando apenas Valdeir no ataque. No segundo lance, Alex Teixeira já mostrou o cartão de visita. Após passe de Jean, ele chutou no canto direito de Zé Carlos, que ficou só olhando. A bola passou muito perto e foi para fora.

O tempo passava, e o gol não saía. Edmundo recebeu na área e chutou cruzado para fora. Pablo arriscou de fora da área, e a bola saiu sem direção. Aos 37 minutos, Wagner Diniz recebeu passe na direita e foi derrubado na área. A torcida pediu Tiago, mas foi Edmundo quem pegou a bola para cobrar. O chute foi no ângulo direito de Zé Carlos, que caiu para o outro canto: Vasco 1 a 0. Foi o sétimo do Animal na temporada, o sexto de pênalti. No último minuto, Wagner Diniz ainda perdeu um gol incrível ao chutar para fora na frente do goleiro Zé Carlos após um contra-ataque. Mas a vitória cruzmaltina estava garantida.

Gol: Edmundo, aos 38 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Morais, Jean e Edmundo (V); Luís André e Wescley (C)
Cartão vermelho: Luís André (C)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Giovani Cesar Canzian (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Data: 16/04/2008
Estádio: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Público: 7.130 pagantes
Renda: R$ 36.055,00

VASCO 1 x 0 CRICIÚMA
Tiago
Vilson (Rodrigo Antônio)
Eduardo Luiz
Jorge Luiz
Wagner Diniz
Jonílson
Souza (Souza)
Morais
Pablo
Jean
Alan Kardec (Edmundo)
T: Antônio Lopes
Zé Carlos
Reginaldo Araújo
Wescley
Uendel
Claudio Luiz
Basílio
Luís André
Jael (Zulu)
Valdeir
Beto (Patric)
Jean Coral (Marcelo Rosa)
T: Leandro Machado

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: